Descrição de Funções

O/a diretor/a de Juventude e Educação para os Direitos Humanos [EDH] terá como funções a implementação e gestão de todo o trabalho de Juventude e EDH da Amnistia Internacional (AI) Portugal, tendo a seu cargo a direção, ligação, elaboração e implementação de todo o trabalho nestas áreas da Secção Portuguesa da AI.

Trabalhará em equipa com o/a diretor/a executivo no desenvolvimento de trabalho nestas áreas, bem como na criação de um departamento de Juventude e EDH. Articular-se-á ainda com os/as diretores/as dos restantes departamentos e com o/a diretor/a executivo/a nos âmbitos das funções e tarefas destes.

Trabalhará ainda em equipa e estreita colaboração com os/as colegas relevantes de outras secções nacionais da Amnistia Internacional, com os/as colegas relevantes dos escritórios regionais da Europa e de outras regiões do mundo (principalmente Sul de África, Américas e Ásia-Sul), com o Secretariado Internacional da Amnistia Internacional.

 

Localização e condições

Localização: Sede da Amnistia Internacional Portugal, na Rua dos Remolares, em Lisboa.

Duração: 1 ano, com possibilidade de renovação.

Condições:

  • Horário a tempo inteiro – 40 horas semanais.
  • Salário mensal compatível com a função de diretor/a (desde 1.697,89 € ilíquidos);
  • Subsídio de isenção de horário no proporcional de 2 horas por semana.
  • Subsídio de refeição (7,23€);
  • Subsídio de transporte (até 80€/mês).
  • Outros benefícios, que incluem seguro de saúde após o período experimental, subsídio de apoio à parentalidade, possibilidade de um dia de teletrabalho por semana, bolsa de dias remunerados com dispensa por doença, dispensa de dia de aniversário, dispensa de dia de aniversário de filhos/as ou menores a cargo com menos de 18 anos de idade, entre outros dias consoante o cumprimento de objetivos e metas coletivas, conforme a política de recursos humanos da organização.
  • Integração numa organização com uma política de recursos humanos com forte aposta no desenvolvimento pessoal e profissional.
  • [Todos os benefícios previstos no código do trabalho português].

 

Relações de Trabalho

Reporta a: Diretor/a Executivo/a.

 

Principais Responsabilidades

Juventude

  • Planear a implementação e execução operacional da política e da estratégia de juventude do Secretariado Internacional da Amnistia Internacional e da Amnistia Internacional – Portugal;
  • Apoiar o/a diretor/a executivo nas funções de porta voz da AI – Portugal, no que diz respeito às posições, às políticas de juventude e ao trabalho da AI – Portugal junto dos stakeholders e rightsholders com que a organização deve trabalhar; apoiar os/as diretores/as de departamento de campanhas e comunicação para um trabalho concertado, adequado e com maior impacto da organização;
  • Providenciar apoio e aconselhamento ao staff da AI – Portugal em questões de envolvimento juvenil e da sua participação nas campanhas e no trabalho da organização;
  • Contribuir para a definição da estratégia de campanhas específicas da AI – Portugal, liderando as componentes de “youth engagement and participation” e de educação não formal para públicos alvo juvenis;
  • Promover e manter o trabalho de ativismo e direitos humanos para e com jovens, com parcerias estratégicas com organizações externas (locais, nacionais e internacionais);
  • Coordenar e promover a participação ativa de jovens, em toda a sua diversidade, no desenvolvimento, atualização, desenho e implementação de estratégias de trabalho com a juventude, em colaboração com os/as outros/as diretores/as departamentais;
  • Criar materiais e conteúdos relevantes para chamadas de ação para jovens, sobre as campanhas da Amnistia Internacional e de acordo com a estratégia global de comunicação da organização;
  • Criar materiais de ativismo para os direitos humanos, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento fundamentado e sólido do ativismo juvenil individual e de grupo na AI – Portugal;
  • Coordenar e organizar eventos nacionais de juventude, workshops e encontros de ativismo juvenil, que potenciem o crescimento e impacto em direitos humanos;
  • Coordenar o envolvimento e comunicações com os grupos juvenis de ativismo da AI – Portugal, nas campanhas da organização;
  • Trabalhar em conjunto com os outros/as diretores/as de departamento e diretor/a executivo/a no trabalho do ativismo global da organização;
  • Trabalhar na capacitação de lideranças de grupos juvenis, providenciando formação para que possam implementar as campanhas e chamadas de ação de ativismo da AI – Portugal;
  • Em articulação com o/a coordenador/a de EDH, produzir relatórios de monitorização e avaliação qualitativa e quantitativa das várias ações de EDH da AI – Portugal;
  • Dirigir o processo de desenvolvimento de materiais e recursos para jovens e estruturas operacionais da AI – Portugal;

EDH – Educação para os Direitos Humanos

  • Planear a implementação e execução operacional da política e da estratégia de educação para os direitos humanos do Secretariado Internacional da Amnistia Internacional e da Amnistia Internacional – Portugal;
  • Liderar e adaptar o trabalho de EDH, à política, posições e estratégias de EDH do Secretariado Internacional e da Secção Portuguesa da Amnistia Internacional;
  • Apoiar o/a diretor/a executivo nas funções de porta voz da AI – Portugal, no que diz respeito às posições, às políticas educativas e ao trabalho da AI – Portugal junto dos stakeholderse rightsholderscom que a organização deve trabalhar; apoiar os/as diretores/as de departamento de campanhas e comunicação para um trabalho concertado, adequado e com maior impacto para a organização;
  • Exercer com autonomia e conhecimento análises aprofundadas e detalhadas sobre a realidade política e social em que trabalha a organização, com vista ao desenvolvimento de estratégias sólidas e eficazes de trabalho de educação formal e não formal com impacto em direitos humanos;
  • Contribuir para a definição da estratégia de campanhas específicas da AI – Portugal, liderando a componente de educação para os direitos humanos;
  • Promover e manter parcerias estratégicas com organizações externas (locais, nacionais e internacionais) no âmbito do trabalho de educação para os direitos humanos;
  • Produzir relatórios e documentação de referência da AI – Portugal no que diz respeito ao trabalho em educação para os direitos humanos em Portugal;
  • Liderar e criar estratégias e materiais de educação para os direitos humanos e apoiar o desenvolvimento fundamentado e sólido de atividades de ativismo para apoio às estruturas operacionais da AI – Portugal no seu trabalho de EDH;
  • Dirigir o trabalho formativo da organização no que diz respeito à formação certificada de professores, à formação externa certificada e à criação e manutenção de uma bolsa de formadores alargada em educação para os direitos humanos.
  • Liderar o trabalho de capacitação e formação em Direitos Humanos de ativistas e/ou Estruturas Operacionais da AI – Portugal;
  • Liderar o trabalho de capacitação das escolas e entidades parceiras da AI – Portugal em EDH;
  • Dirigir e/ou supervisionar os diversos projetos de Educação Para os Direitos Humanos que a organização promove e executa.
  • Liderar o trabalho de capacitação e formação pedagógica da organização em EDH;
  • Dirigir e/ou supervisionar os processos de certificação e de gestão de formação e coordenação pedagógica de formação em Direitos Humanos da AI – Portugal;
  • Dirigir e/ou supervisionar a organização, logística e implementação de ações, eventos e projetos da organização a terem lugar no âmbito de EDH;
  • Dirigir e/ou supervisionar o planeamento, execução e orçamentação de todas as ações e projetos a terem lugar no âmbito de EDH de acordo com as normas de ética e transparência da AI – Portugal;
  • Responsabilizar-se pela produção de candidaturas a projetos a terem lugar no âmbito de EDH;
  • Responsabilizar-se pela produção de relatórios de monitorização e avaliação qualitativa e quantitativa das várias ações de EDH da AI – Portugal;
  • Em articulação com o/a coordenador/a de EDH, colaborar no contacto com entidades externas envolvidas nos projetos, ações ou eventos no âmbito EDH;
  • Dirigir o processo de desenvolvimento de materiais e recursos EDH para escolas e estruturas operacionais da AI – Portugal;

 

Numa perspetiva interdepartamental, deverá:

  • Com o apoio do departamento de comunicação e campanhas, que define a estratégia de comunicação e campanhas da AI – Portugal, planear a linguagem e as abordagens dirigidas aos distintos públicos-alvo no âmbito das suas funções.
  • Com o apoio do departamento de angariação de fundos, promover as campanhas e o trabalho com juventude e em educação para os direitos humanos como uma ferramenta que transmita as diferentes mensagens da AI – Portugal e demonstre a relevância do trabalho da organização com juventude e em educação para os direitos humanos, na advocacia social e política e no seu impacto de transformação social, potenciando a angariação de novos membros, apoiantes e ativistas.
  • Em parceria com o departamento financeiro, articular todos os exercícios orçamentais da sua atividade, de forma a contribuir para um crescimento sustentável da AI – Portugal bem como garantir a utilização responsável dos seus recursos humanos, materiais e financeiros.

 

Perfil e Requisitos

Os candidatos deverão reunir, cumulativamente, conhecimentos e experiência em quatro ou mais das seguintes áreas: mobilização, organização comunitária e juvenil, facilitação e capacitação de juventude em ambiente de educação formal e não formal; educação para os direitos humanos, ciências da educação, sociologia, psicologia da educação; pedagogia e didática, educação formal, educação não formal,  liderança, liderança de equipas, gestão, gestão de equipas e gestão de projetos, gestão escolar e desenvolvimento curricular; Concordância e compromisso com os valores e a visão da Amnistia Internacional;

  • Forte sentido de compromisso e dedicação;
  • Forte sentido de trabalho em equipa;
  • Fluência em inglês;
  • Experiência em falar em público.

Juventude

  • Experiência de trabalho com Juventude: Forte experiência de mobilização e capacitação de jovens em ambientes multiculturais, sociais e multinacionais.
  • Capacidade para prospeção e mobilização de recursos para apoio e construção de representatividade juvenil a nível nacional.
  • Sensibilidade às necessidades, oportunidades e restrições de uma organização mundial de membros em relação ao trabalho com jovens.
  • Conhecimentos e experiência de trabalho em campanhas: Conhecimento de campanhas estratégicas, metodologias e táticas de campanhas de direitos humanos; Experiência de apoio ao desenvolvimento de estratégias de campanhas. Experiência na escrita de conteúdos e materiais de campanha motivadores e inspiradores para públicos-alvo diversificados; capacidade de comunicar mensagens de campanha e posições organizacionais de forma eficaz.
  • Conhecimentos e experiência em ativismo associativo: Compreensão do que motiva os membros a agir, compreensão do apoio de que precisam e da importância de feedback adequado. Boa compreensão das implicações do desenvolvimento de estratégias de campanhas e ativismo para implementação por parte de membros e ativistas juvenis em várias regiões do país e sensibilidade a diferentes culturas, origens e contextos socioeconómicos. Experiência na utilização de técnicas de ativismo on-line e off-line para atingir objetivos de envolvimento em campanhas. Experiência direta de coordenação de redes e organização de eventos. Capacidade de utilização de abordagens e metodologias participativas.
  • Experiência ou capacidade de trabalho em ambientes multiculturais para trabalho com colegas profissionais e jovens de todo o mundo.
  • Experiência em trabalho de facilitação: Experiência e capacidade de facilitação e coordenação de workshops e reuniões de equipas de trabalho e ativismo juvenil.
  • Capacidade de análise e planeamento estratégico: Capacidade de recolher e identificar informações necessárias para uma análise e identificação adequada da posição de atores relevantes que possam contribuir para o trabalho de mobilização de juventude na organização.

Experiência Pedagógica e em EDH

  • Experiência pedagógica demonstrada [preferencialmente como docente ou como formador/a certificado/a em gestão da formação (150 horas) e/ou coordenador/a pedagógico/a (150 horas), como facilitador/a em educação];
  • Experiência e conhecimentos comprovados em EDH – Educação para os Direitos Humanos;
  • Domínio sólido de técnicas de educação não formal e facilitação;
  • Experiência comprovada em trabalho e técnicas de facilitação diversificadas que permitam a participação ativa de jovens, em toda a sua diversidade, em campanhas globais da organização;
  • Experiência sólida de mobilização de jovens e desenvolvimento de estratégias e objetivos de campanhas em relação aos direitos dos jovens;
  • Experiência na aplicação de abordagens que permitam que as campanhas globais da organização integrem as perspetivas dos jovens em todas as fases do ciclo de projeto;
  • Experiência em facilitação de workshops utilizando metodologias participativas;
  • Conhecimento de metodologias de mobilização e organização comunitária;
  • Capacidade de identificar boas práticas, identificar informações-chave e de as promover em todo o Movimento;

Direitos Humanos

  • Conhecimentos sólidos sobre Direitos Humanos e Educação – formal e não formal – para os Direitos Humanos;
  • Conhecimento integrado das questões de direitos humanos que mais desproporcionalmente afetam os jovens;
  • Conhecimentos sobre direitos humanos e organizações não-governamentais;
  • Ampla compreensão dos direitos humanos ao nível nacional, regional e internacional;
  • Conhecimentos sobre a atualidade internacional e estado dos direitos humanos no mundo;
  • Conhecimentos e compreensão das áreas de advocacia social e política, e política internacional;
  • Compreensão de assuntos relacionados com legislação de direitos humanos e os diversos mecanismos de proteção dos mesmos (nacionais, regionais e internacionais);
  • Compreensão dos sistemas e ferramentas de responsabilização direta e/ou mediática (campanhas, comunicação social) de abusos de direitos humanos;

Gestão e Liderança de Equipas

  • Capacidade e experiência comprovada de liderança;
  • Capacidade e experiência comprovada de motivação de equipas;
  • Capacidade e experiência comprovada de gestão de pessoas;
  • Competências de gestão e orientação pessoal e de equipa para objetivos pessoais e coletivos;
  • Pensamento estratégico, capacidade de planeamento, monitorização e avaliação;
  • Domínio e capacidade de condução de processos de tomada de decisão e gestão de conflitos;
  • Capacidade para unir e conciliar diferentes abordagens, estratégias e plataformas de trabalho;
  • Fortes capacidades de comunicação e gestão de trabalho de equipa, capacidade para estabelecer boas relações de trabalho com colegas de diversas culturas e formações, tanto dentro da organização quanto no movimento mais amplo;
  • Experiência em gestão de projetos;
  • Capacidade para trabalhar de forma autónoma e sob stress;
  • Flexibilidade de horário e disponibilidade para viagens dentro e fora do país;
  • Conhecimentos na área de gestão de projetos relacionados com o cargo.
  • Capacidade de gerir equipas e fluxos de trabalho elevados e diversos de forma eficaz;
  • Experiência de trabalho eficaz dentro de uma equipa. Gosta de trabalhar em colaboração com os outros, contribuindo para o estabelecimento de prioridades, desenvolvimento de estratégias e estabelecimento de bons sistemas de comunicação dentro da equipa;
  • Excelentes capacidades de comunicação, empatia e capacidade de trabalho interpessoal: capacidade de trabalhar efetivamente como membro de uma equipa; Capacidade para estabelecer e construir boas relações de trabalho com colegas de diversas culturas e origens, tanto dentro da organização quanto no movimento internacional.
  • Experiência de coordenação de projetos: Capacidade de adotar uma abordagem sistemática de trabalho numa organização e equipa, incluindo experiência de programação e planeamento de eventos, planeamento e gestão de vários projetos ao mesmo tempo e envolvendo equipas de número alargado de pessoas e atividades;
  • Experiência de gestão de conflitosbem como capacidade comprovada de cumprimento de prazos apertados.
  • Experiência de orçamentaçãode atividades e eventos, monitorização e acompanhamento de despesas de projeto.

 

 

Como se candidatar

CONCURSO EXTERNO: Envio de Formulário de candidatura devidamente preenchido para candidaturas@amnistia.pt até às 23h59 do dia 05 de Maio de 2019.

Todos os/as candidatos/as serão informados sobre os resultados de pré-seleção.

Os/as candidatos/as selecionados/as para a fase seguinte serão informados sobre os procedimentos seguintes e data para entrevista.

Início das funções a determinar.

 

Ficheiros

 


A Amnistia Internacional – Portugal é uma organização não governamental onde as pessoas são selecionadas com base no mérito e nas suas capacidades, e comprometida com os princípios fundamentais da igualdade e da diversidade.

DECLARAÇÃO DE IGUALDADE

A igualdade e a diversidade estão no âmago dos valores da Amnistia Internacional e espera-se que os funcionários/as trabalhem coletiva e individualmente para promover uma abordagem construtiva e sensível para pessoas de diferentes origens backgrounds, onde o trabalho de todas as pessoas é valorizado e respeitado.

CONFLITO DE INTERESSES

Atividade pública ou de outra natureza, filiação ou apoio a qualquer grupo ou organização, associação pessoal ou outro fator que possa gerar um conflito de interesse real ou percebido para com os princípios da Amnistia Internacional, ou suscitar preocupações de segurança, que possa não permitir ao/à candidato/a o desempenho das principais funções do cargo específico, deve ser comunicada pelo/a candidato/a à Amnistia Internacional – Portugal.