Descrição de Funções

O/a gestor/a editorial e de imprensa integra o Departamento de Comunicação e Campanhas, tendo por sua responsabilidade:

  • Conceção e gestão de conteúdos editoriais focados no trabalho, ações, visão e missão da Amnistia Internacional – Portugal;
  • Implementação e gestão de estratégias de desenvolvimento e manutenção de ligação com órgãos de comunicação social, com o adequado fornecimento de informação sobre o trabalho da organização nas suas várias vertentes de ação.
  • Assessoria de imprensa da Amnistia Internacional – Portugal.

Trabalhará em equipa com o seu departamento, em conjunto com os restantes departamentos e com o/a diretor/a executivo/a.

 

Localização e condições

Localização: sede da Amnistia Internacional – Portugal, na Rua dos Remolares, em Lisboa.

Duração: 1 ano (com possibilidade de renovação)

Condições:

  • Horário em full-time.
  • Salário mensal compatível com a função de coordenador/a (desde 1320,00€ ilíquidos);
  • Subsídio de refeição (7,23€);
  • Subsídio de transporte (até 80€/mês);
  • Outros benefícios, que incluem seguro de saúde após o período experimental, subsídio de apoio à parentalidade, possibilidade de um dia de teletrabalho por semana, bolsa de dias remunerados com dispensa por doença, entre outros, conforme a política de recursos humanos da organização.
  • Integração numa organização com uma política de recursos humanos com forte aposta no desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Relações de Trabalho

Reporta a:

Diretor/a do Departamento de Comunicação e Campanhas e Diretor/a Executivo/a.

 

Principais Responsabilidades

Em conformidade com o trabalho e estratégia do Departamento de Comunicação e Campanhas, terá como principais responsabilidades:

  • Escrever, editar e gerir artigos, notícias e outros conteúdos escritos para publicação nos canais da Amnistia Internacional – Portugal, em conformidade com as estratégias definidas a nível departamental e interdepartamental.
  • Conceber e implementar estratégias de relação com órgãos de comunicação social nacionais e internacionais lusófonos que inclua: a ligação proativa aos órgãos de comunicação social, o envio, apresentação adequada de informação relativa ao trabalho da Amnistia Internacional e da Amnistia Internacional – Portugal e do/a porta-voz da Amnistia Internacional – Portugal, a organização de entrevistas, prestação de briefings aos media proativamente, a redação de comunicados de imprensa e artigos de opinião e ainda a resposta às solicitações de órgãos de comunicação social e / ou jornalistas.
  • Desenvolver trabalho para os órgãos de comunicação social e jornalistas, garantindo que a Amnistia Internacional – Portugal responde de forma eficaz e em tempo oportuno aos cruciais desenvolvimentos internos e externos com valor-notícia em matéria de direitos humanos.
  • Desenvolver estratégias de mediatização dos temas de direitos humanos e projetos desenvolvidos pela Amnistia Internacional, com o propósito de construir e impulsionar a relevância do trabalho da organização em Portugal e nos países lusófonos.
  • Identificar oportunidades de trabalho mediático que respondam aos objetivos de comunicação da Amnistia Internacional – Portugal, assegurando que o trabalho é produzido em tempo oportuno e com forte valor-notícia para as audiências-alvo.
  • Documentar do ponto de vista jornalístico e fotojornalístico o trabalho da secção portuguesa da Amnistia Internacional.
  • Aconselhar, apoiar e prestar informação atualizada e devidamente comprovada sobre a narrativa de direitos humanos da organização ao/à porta-voz da Amnistia Internacional – Portugal.
  • Prestar apoio de comunicação aos projetos de investigação da Amnistia Internacional – Portugal, garantindo que as descobertas relevantes são reportadas aos órgãos de comunicação social em tempo oportuno e em linguagem vocacionada para órgãos de comunicação social e para os públicos em geral.
  • Prestar apoio de comunicação ao trabalho de advocacia política e social da Amnistia Internacional – Portugal, garantindo que os trabalhos relevantes são reportados aos órgãos de comunicação social em tempo oportuno e em linguagem vocacionada para os meios de comunicação social e para os públicos em geral.
  • Monitorizar e reportar regularmente o impacto, visibilidade e métricas nos meios de comunicação social (media) portugueses e estrangeiros lusófonos da Amnistia Internacional – Portugal; usar esses resultados no âmbito do Departamento de Comunicação e Campanhas para a definição de estratégias comuns para trabalho futuro assegurando continuado impacto mediático do trabalho da Amnistia Internacional.
  • Identificar e suprir necessidades de treino em media ao/à porta-voz, ou quem por este/a delegado/a, e responsáveis pela ligação aos media nas estruturas da Amnistia Internacional – Portugal.
  • Desenvolver conteúdos narrativos escritos e audiovisuais para canais de media portugueses não estritamente informativos e dirigidos a audiências diversificadas conforme definido pela estratégia de comunicação da Amnistia Internacional – Portugal.
  • Traduzir e tratar editorialmente os conteúdos informativos da Amnistia Internacional com relevância para Portugal e garantir a sua divulgação no website da Amnistia Internacional – Portugal, com foco na adaptação aos públicos e audiências da organização.
  • Propor proativamente a complementaridade de conteúdos escritos com outros formatos de conteúdos, sempre que possível e adequado, e em conformidade com as restantes áreas de comunicação.

Numa perspetiva interdepartamental, deverá trabalhar:

  • Em parceria com o Departamento de Angariação de Fundos, com a coordenação de projetos de investigação no país e com a coordenação de projetos de educação para os direitos humanos da secção, de forma a criar um rumo estratégico de comunicações nos media para a Amnistia Internacional – Portugal. Deverá trabalhar numa lógica de equipa integrada, multidisciplinar e guiada pela máxima de que todas as iniciativas de comunicação e de campanhas devem ser comunicadas para os media de forma adequada e relevante para as audiências apropriadas;
  • Aconselhar os departamentos e diretor/a executivo/a sobre o desenvolvimento das estratégias de comunicação para os órgãos de comunicação social e media;
  • Contribuir para a criação de produtos de comunicação consistentes com estas estratégias.
  • Em parceria com o Departamento Financeiro, articular todos os exercícios orçamentais da sua responsabilidade, de forma a contribuir para um crescimento sustentável da Amnistia Internacional – Portugal.

Deve, ainda, trabalhar em harmonia e proximidade com as restantes valências de todos os departamentos, com a direção e com o Secretariado Internacional, sempre que se verifique necessário.

 

Perfil e Requisitos

Para o seu trabalho, os/as candidatos/as deverão reunir, cumulativamente, conhecimentos e experiência nas áreas de comunicação, jornalismo, escrita editorial, storytelling, direitos humanos e relações geopolíticas, bem como forte capacidade de trabalhar em equipa.

  • Áreas de formação preferenciais: Comunicação, Ciências da Comunicação, Jornalismo, Sociologia, Relações Públicas;
  • Elevadas competências e experiência em assessoria de imprensa, gestão de relações com órgãos de comunicação social, jornalismo, ou funções similares;
  • Conhecimentos comprovados de escrita editorial, adaptação de conteúdos e storytelling;
  • Excelente domínio da língua portuguesa, na escrita, com domínio de conceitos e linguagem técnica em direitos humanos e relações geopolíticas;
  • Excelente domínio da língua inglesa, na escrita com fortes capacidades para trabalhos de tradução e retroversão (inglês – português);
  • Conhecimentos e domínio de técnicas de trabalho fotográfico, em especial sob a perspetiva de trabalho em fotojornalismo;
  • Domínio e experiência na utilização de programas de criação de conteúdos (MS Office – Word, Excel, Powerpoint);
  • Conhecimentos e facilidade de aprendizagem de utilização de sistemas de backoffice para gestão de conteúdos online (e.g., WordPress);
  • Será valorizada a experiência e conhecimentos básicos de criação e edição de conteúdos multimédia;
  • Será valorizada a experiência e conhecimentos intermédios na criação e adaptação de conteúdos editoriais para redes sociais;
  • Flexibilidade de horários e disponibilidade para viagens dentro e fora do país;
  • Assiduidade e pontualidade; brio profissional;
  • Concordância com os valores e visão da Amnistia Internacional;
  • Forte sentido e capacidade de trabalho em equipa;
  • Empatia; boa capacidade de comunicação e relacionamento;
  • Pensamento estratégico, capacidade de planeamento, monitorização e avaliação;
  • Conhecimentos e experiência em análise e monitorização de resultados da presença nos media;
  • Planificação de Comunicação para diferentes audiências;
  • Domínio de linguagem informática e de novas tecnologias de comunicação;
  • Conhecimento e experiência em processos de tomada de decisão e gestão de conflitos;
  • Capacidade de trabalhar de forma autónoma e sob stress;
  • Competências de gestão e orientação para objetivos.

 

Como se candidatar

Envio de Formulário de candidatura devidamente preenchido para candidaturas@amnistia.pt até às 23h59 horas do dia 04 de fevereiro de 2019.

Escolha a versão do formulário que lhe for mais conveniente preencher:

Os/as candidatos/as selecionados/as para a fase seguinte serão informados via email sobre os procedimentos seguintes e data para entrevista.

 

Início das funções: Março de 2019 (a acordar com a/o candidato/a)

 

Ficheiros

 


 

A Amnistia Internacional – Portugal é uma organização não governamental onde as pessoas são selecionadas com base no mérito e nas suas capacidades, e comprometida com os princípios fundamentais da igualdade e da diversidade.

DECLARAÇÃO DE IGUALDADE

A igualdade e a diversidade estão no âmago dos valores da Amnistia Internacional e espera-se que os funcionários/as trabalhem coletiva e individualmente para promover uma abordagem construtiva e sensível para pessoas de diferentes origens backgrounds, onde o trabalho de todas as pessoas é valorizado e respeitado.

CONFLITO DE INTERESSES

Atividade pública ou de outra natureza, filiação ou apoio a qualquer grupo ou organização, associação pessoal ou outro fator que possa gerar um conflito de interesse real ou percebido para com os princípios da Amnistia Internacional, ou suscitar preocupações de segurança, que possa não permitir ao/à candidato/a o desempenho das principais funções do cargo específico, deve ser comunicada pelo/a candidato/a à Amnistia Internacional – Portugal.