Assinar a Petição

Junte o seu nome ao apelo que visa impedir a estudante Taibeh Abbasi de ser deportada para o Afeganistão!

A história de Taibeh começou por ser de esperança. Após a sua família ter fugido de um Afeganistão dilacerado pela guerra, enfrentaram a discriminação, no Irão, antes de encontrarem a segurança que procuravam na Noruega. Após tantas tormentas foi-lhe finalmente permitido sonhar vir a ser médica, fez da Noruega a sua casa, fez amigos e pôde continuar os seus estudos.

Mas tudo isso mudou quando, dois anos depois, o governo norueguês reverteu a sua decisão. Disseram à família que teriam que deixar a sua casa e seriam deportados para o Afeganistão, um sítio onde Taibeh nunca esteve e que sabemos não ser um local seguro.

Mas Taibeh não está sozinha. Os seus colegas e amigos começaram uma campanha para impedir a sua deportação, organizando um protesto com milhares de pessoas que demonstraram o seu apoio a Taibeh. Agora, mais do que nunca, eles precisam da nossa ajuda, já que tanto ela como a sua família podem ser deportados a qualquer instante.

 

“Não vejo futuro nenhum para mim e para os meus irmãos no Afeganistão. As únicas imagens que surgem na minha mente são negativas.”

Taibeh Abbasi

É crucial que façamos todos os possíveis para impedir a deportação dela e da família. E, por isso, é preciso escrever urgentemente a quem tem o poder de o fazer.

Escreva agora à primeira ministra da Noruega, Ema Solberg,  e exija que Taibeh, a sua família e outras pessoas em situação semelhante na Noruega não sejam deportadas.

Nenhuma pessoa deveria ser enviada para um sítio que se sabe ser perigoso. Junte-se a quem luta por Taibeh agora! 

Ao assinar esta petição será enviado um email em seu nome à primeira ministra da Noruega, Ema Solberg.

 


Saiba mais sobre o relatório da Amnistia Internacional que detalha casos lacinantes de afegãos sujeitos a retornos forçados pela Noruega, Holanda, Suécia e Alemanha e que acabaram por ser mortos, feridos em ataques à bomba ou abandonados a uma vida de terror profundo de serem perseguidos devido à sua orientação sexual ou conversação ao cristianismo.

Ler artigo

 

Letter content

Dear Sir / Madam,

I urge you to stop the deportation of Taibeh Abbasi and her family to war-torn Afghanistan, a country where Taibeh has never been to and that is not safe. Should Taibeh Abbasi be deported to Afghanistan, she would be at serious risk of human rights violations.

Taibeh Abbasi was born in Iran to Afghan parents belonging to the Hazara minority ethnic group. They fled Afghanistan in 1998 during the Taliban regime. Due to discrimination in Iran, she and her family left the country and arrived in Norway in the summer of 2012 where they were granted refugee status. Taibeh and her brothers have fully integrated in Trondheim, the city where they currently live and attend school.  However, in March 2014 the Norwegian Immigration Director revoked their refugee status, stating that there was insufficient proof of a well-founded fear of persecution in Afghanistan and that Kabul was deemed a safe place to return to.

The Hazara are an ethnic minority who have faced long term discrimination and persecution in Afghanistan. In terms of civilian casualties, Kabul is currently the most dangerous province in Afghanistan. The security situation in the country is deteriorating and no area can be considered safe as a range of armed groups are fighting for the control of territories. If deported, Taibeh Abbasi and her family would be put at risk of serious harm.

I urge you listen to Taibeh’s words, depicting what it would mean for her and her family to be deported to Afghanistan: “In Kabul there is no future for me and my brothers. We will be exposed to discrimination and physically feel what it is like to be an exposed minority. I, as a girl, am particularly exposed. My dreams of an education and a career will be broken”.

Sending people to face harm and persecution in Afghanistan as violence escalates is a violation of international law. I urge you to stop the deportation of Taibeh and her family, as well as temporarily halt all returns to Afghanistan until they can return in safety and dignity.

Your sincerely,

Texto da carta a enviar

Caro/a Senhor/a,

Apelo a que cancele a deportação de Taibeh Abbasi e da sua família para o Afeganistão, um país dilacerado pela guerra, onde Taibeh nunca esteve e que não é seguro. Se Taibeh Abbasi for deportada para o Afeganistão, ela será colocada em grave risco de violação dos direitos humanos.

Taibeh Abbasi nasceu no Irão, filha de pais afegãos pertencentes ao grupo étnico minoritário Hazara. Estes fugiram do Afeganistão em 1998, durante o regime Taliban. Devido à discriminação que sofriam no Irão, ela e a sua família deixaram o país e chegaram à Noruega no verão de 2012, onde lhes foi atribuído o estatuto de refugiado. Taibeh e os seus irmãos integraram-se totalmente em Trondheim, cidade onde atualmente vivem e frequentam a escola. No entanto, em Março de 2014, o Diretor de Imigração norueguês revogou o seu estatuto de refugiado, alegando que não existiam provas suficientes para fundamentar o medo de perseguição no Afeganistão e que Cabul se transformou num lugar seguro para regressar.

Os Hazara são uma minoria étnica que, desde há muito, tem vindo a sofrer discriminação e perseguições no Afeganistão. Em termos de baixas civis, Cabul é atualmente a província mais perigosa do Afeganistão. A segurança no país está a deteriorar-se e nenhuma área pode ser considerada segura, já que vários grupos armados lutam pelo controlo dos territórios. Se forem deportados, Taibeh Abbasi e a sua família serão colocados em sério risco de vida.

Apelo a que ouça as palavras de Taibeh, explicando o que significaria para ela e a sua família serem deportados para o Afeganistão: “Em Cabul não existe futuro para mim e para os meus irmãos. Nós seremos expostos à discriminação e sentiremos na pele o que é ser uma minoria vulnerável. Eu, como rapariga, estarei particularmente exposta. Os meus sonhos de ter acesso à educação e a um percurso  profissional serão destruídos”.

Enviar pessoas para enfrentar riscos e perseguições no Afeganistão, à medida que aumenta a escalada de violência, é uma violação do direito internacional. Apelo a que anule a deportação de Taibeh e da sua família, e que suspenda temporariamente todos os retornos ao Afeganistão até que estes possam acontecer em segurança e condignamente.

Atenciosamente,

Junte o seu nome

Artigos Relacionados