Birmânia: carta de agradecimento da ativista estudantil Phyoe Phyoe Aung - Amnistia Internacional Portugal

27 December 2016

Carta de agradecimento pessoal da ativista estudantil liberta no início deste ano, após a Maratona de Cartas da Amnistia Internacional de 2015.

 

 

 

 

Queridos amigos/as,

Sou Phyoe Phyoe Aung. Muitos de vocês fizeram campanha pela minha libertação da prisão e enviaram-me cartas de apoio enquanto estava detida. Tenho querido responder-vos desde que fui liberta – as minhas desculpas pela mensagem tardia.

Enquanto filha de um antigo prisioneiro político, conheço muito bem o nome da Amnistia Internacional, e ouvi falar das vossas campanhas para libertarem prisioneiros de consciência, incluindo Aung San Suu Kyi, desde muito nova.

postais solidariedade phyoe copyEm 2015, eu própria me tornei numa prisioneira de consciência da Amnistia Internacional. Depois disso, recebi imensos postais, cartões com desenhos de animais adoráveis que me desejavam o melhor, cartas encorajadoras e poemas maravilhosos de pessoas de todo o mundo. Ainda recebo cartas através da Amnistia, tal como de organizações de prisioneiros políticos. Pretendo recolher algumas destas cartas e postais e usá-los para criar um arquivo de histórias de prisioneiros políticos.

Estou muito agradecida à Amnistia e a todas as pessoas que participaram na campanha pela minha libertação. Movimentos internacionais como o vosso colocam pressão nos governos para conseguir a nossa liberdade física, mas também nos serve de apoio psicológico saber que contamos com a vossa solidariedade.

Organizações internacionais como a Amnistia Internacional nunca esquecem as pessoas que enfrentam injustiças na sua luta pela democracia e direitos humanos. Temos de ser fortes e lembrarmo-nos do quão é importante estarmos juntos nas nossas lutas.

Muito obrigado a cada um de vocês. Não apenas por fazerem campanha pela minha libertação, e a libertação de outros prisioneiros, mas por ajudarem a manter a nossa esperança e convicções vivas. Espero que juntos possamos continuar a luta até que o nosso sonho comum de direitos humanos e justiça para todas as pessoas se torne realidade.

Melhores cumprimentos,

Phyoe Phyoe Aung

Artigos Relacionados