A arte e a criatividade dos artistas tem sido marcante para as campanhas de direitos humanos da Amnistia Internacional desde a fundação do movimento, há mais de cinquenta anos

Artes pela Amnistia

Artes pela Amnistia enquadra-se no projeto global Art for Amnesty que, desde a fundação da Amnistia Internacional, um pouco por todo o mundo, tem vindo a ganhar forma através de atividades de várias secções. O prémio “Embaixadores de Consciência” da Amnistia Internacional já premiou vários artistas, que escolheram utilizar a arte para falar de questões globais.

As artes são um poderoso veículo para unir pessoas e contribuir para a mudança, enquanto facilitadora de empatia e de sentido crítico.

Com o poder da criatividade, é possível fazer ainda mais pelos direitos humanos, numa escala local ou global. Seja através de uma pintura, de uma fotografia, uma música, peça de teatro, ou outras formas artísticas, é possível sensibilizar ainda mais pessoas para que se mobilizem para ações concretas.

Em Portugal

Na secção portuguesa, oficializamos o projeto “Artes pela Amnistia” – Artes pelos Direitos Humanos, que pretende juntar artistas com a mesma visão para o mundo: um em que cada pessoa possa usufruir em pleno dos seus direitos, independentemente do lugar onde nasçam.

Juntamos artistas que já tenham projetos de intervenção social relacionados com temáticas de direitos humanos ou que queiram colaborar em novos projetos para promover e sensibilizar um maior número de pessoas para questões globais de direitos humanos.

 

BRAVE WALLS E MARIELLE FRANCO

Em 2018, a Amnistia Internacional juntou-se ao Festival Iminente para celebrar a coragem das mulheres defensoras dos direitos humanos no mundo.

Juntando a sua voz e a sua arte à campanha BRAVE da Amnistia Internacional, o artista português VHILS criou um mural de Marielle Franco, uma corajosa mulher defensora dos direitos humanos que foi morta no Rio de Janeiro quando voltava para casa após um debate com um grupo de jovens mulheres negras.

 

VHILS EM HOMENAGEM À CORAGEM DE MARIELLE FRANCO

 

 

ABECEDÁRIO DO MEDO

O Abecedário do Medo é um teatro performativo com direção artística de Susana C. Gaspar, do projeto Artes pela Amnistia.

Visitam-se assuntos transversais a várias gerações e aprofundam-se os receios ligados às inseguranças, à pressão social, ao bullying e violência por que passam os jovens na primeira pessoa. Este é um espetáculo construído numa tentativa de aproximar gerações e reduzir o abismo que existe entre determinados assuntos, sem tabus. Os jovens atores em palco representam diversas cenas – de A a Z – num questionamento permanente sobre a nossa humanidade.

Entre a ironia e a franqueza, o jogo e a seriedade, abordam-se medos como “discurso de ódio”, “facebook”, “guerra”, “negligência” ou “preconceito”.

SINOPSE “ABECEDÁRIO DO MEDO”

 

PEDRO E O CAPITÃO

Tornar a realidade mais real é talvez o pleonasmo que ajuda a explicar a parceria entre a Amnistia Internacional Portugal e o projeto “Pedro e o Capitão”.

Numa obra com direção artística de Marta Carreiras e Romeu Costa, e interpretada por Ivo Canelas e Pedro Gil, a tortura, que para muitas pessoas é uma realidade distante, ou até desconhecida, tornou-se palpável no espaço intimista da Sala Mário Viegas, no Teatro São Luiz, em Lisboa.

 

 

ARUANAS

Quatro mulheres, uma ONG e a luta pela defesa da Amazónia são os ingredientes da série “Aruanas”.

Inspirada em fatos reais, esta série – coproduzida pela Globo e pela produtora Maria Farinha – acompanha a história de um grupo de ativistas que luta contra a operação ilegal de uma empresa de minérios, cuja atividade está a contaminar os rios da região e a afetar a saúde das populações ribeirinhas.

A série pretende humanizar o trabalho dos ativistas e homenagear aqueles que são alvo de perseguição, violência e até morte.

DEFENSORES DOS DIREITOS AMBIENTAIS SÃO PROTAGONISTAS NA SÉRIE ARUANAS

 

 

PEDRO ABRUNHOSA TAMBÉM DIZ #EUACOLHO

O artista Pedro Abrunhosa juntou-se aos que estão a dizer #EuAcolho.

Com o seu mais recente single, “Amor em Tempo de Muros”, Pedro Abrunhosa homenageou todas as pessoas que, um pouco por todo o mundo, procuram refúgio. Para filmar o videoclipe viajou até ao México para dar voz a estas pessoas. Com a participação da cantora mexicana Lila Downs, é um poderoso videoclipe de homenagem a todas as pessoas que procuram asilo e segurança, que precisam que o amor fale mais alto que os muros.

 

 

LIVE FREEDOM – CONCERTOS PELOS DIREITOS HUMANOS

Os concertos Live Freedom foram espetáculos que a Amnistia Internacional Portugal realizou durante 3 anos para sensibilizar o público geral para o trabalho realizado em prol dos Direitos Humanos, promovendo o ativismo para as causas que defende, em Portugal e no resto do mundo.

Aurea, Deolinda, David Fonseca, Luísa SobralSérgio GodinhoBatida, Xutos & Pontapés e Linda Martini foram alguns dos nomes que atuaram pelos Direitos Humanos, em três eventos que contaram também com a participação da equipa das manhãs da Comercial, nomeadamente Pedro Ribeiro, Ricardo Araújo Pereira, Vanda MirandaNuno Markl e Vasco Palmeirim.

Quero envolver-me

Se é um/a artista que partilha a visão da Amnistia Internacional e tem algum projeto com artes visuais, artes performativas, cinema, literatura, entre outras, incluindo a nível educativo, partilhe connosco através do endereço: artes@amnistia.pt