16 Maio 2016

Mais de 800 alunos e professores de seis escolas portuguesas – no total de 17 escolas em quatro países europeus – desenvolveram, entre 9 e 12 de maio, várias atividades de consciencialização e mobilização da população estudantil no âmbito do projeto Stop Bullying! da Amnistia Internacional.

Pintura de murais, lettering humano, exposição de cartazes e ações de sensibilização para o bullying, e para as estratégias de combate a essa forma de agressão e humilhação discriminatória nas escolas e contextos sociais, encheram os recreios e átrios de escolas no Cacém, Estremoz, Ferreira do Zêzere, Maia, São João da Madeira e Vila Franca de Xira.

“A conclusão a que cheguei foi que, com calma, temos ajuda e formas de combater [o bullying], e não precisamos nunca, em situação nenhuma, de ir pelo menos caminho [da agressão ou da humilhação”, explicou Joana Pereira, aluna da Escola Básica e Secundaria de Levante da Maia, em reportagem do Porto Canal.

A professora Maria do Céu Pires, da Escola Básica Rainha Santa Isabel, em Estremoz, frisou que “foram feitas muitas ações de sensibilização e muitas atividades” nesta semana de mobilização intensa do Stop Bullying! nas escolas. “E percebemos, a nível empírico, que os alunos ficam sensibilizados para a questão do bullying e mudam algumas das suas práticas e comportamentos”, prossegue numa entrevista à RTP.

O coordenador nacional do projeto da Amnistia Internacional, Nelson Lima, descreveu, também à RTP, que a organização de direitos humanos “promove este debate de ideias e esta formação em relação ao fenómeno do bullying – muitas vezes confundido com atos pontuais de agressão e de humilhação – trazendo os jovens a participarem na discussão do tema de uma forma construtiva, com vídeos, curtas-metragens, dinâmicas de grupo”.

“É esse conjunto de iniciativas que, na conclusão do projeto, pretendemos reunir num manual” sobre o bullying, a ser disponibilizado a todas as escolas no país, remata Nelson Lima.

O projeto Stop Bullying! Uma abordagem baseada nos direitos humanos para combater a discriminação nas escolas” está em curso em quatro países na Europa: Portugal, Itália, Irlanda e Polónia, enquadrado no programa de Educação para os Direitos Humanos da Amnistia Internacional.

Com a duração de dois anos, o Stop Bullying! resulta de uma candidatura europeia da organização de direitos humanos no Daphne III, 2014-2016. Foi integrado no plano de atividades da Amnistia Internacional para os anos 2015-2017, a par das atividades que já decorrem no contexto do dia-a-dia das escolas, no sentido de se tornarem “amigas dos direitos humanos”, e pretende-se que haja uma redução em 33% nas incidências de bullying nos estabelecimentos de ensino participantes no projeto.

Artigos Relacionados