Angola: Amnistia lança alerta antes da visita de Angela Merkel - Amnistia Internacional Portugal

5 Fevereiro 2020

A Amnistia Internacional alerta para a situação de direitos humanos em Angola, que será palco de uma visita de Estado da chanceler alemã, Angela Merkel, na próxima sexta-feira. Atualmente, o país regista “um crescente ataque contra os direitos humanos, incluindo os direitos à liberdade de expressão, associação e reunião pacífica no país”.

“A polícia deteve cerca de 18 jovens manifestantes que protestaram contra a lentidão das autoridades em aprovar a proposta legislativa sobre a descentralização do poder executivo. Os manifestantes foram libertados, mais tarde, sem acusações”

Deprose Muchena, diretor regional para a África Oriental e Austral da Amnistia Internacional

O diretor regional para a África Oriental e Austral da Amnistia Internacional, Deprose Muchena, recorda que, “no mês passado, a polícia deteve cerca de 18 jovens manifestantes que protestaram contra a lentidão das autoridades em aprovar a proposta legislativa sobre a descentralização do poder executivo”. “Os manifestantes foram libertados, mais tarde, sem acusações, mostrando que a detenção foi uma represália por exercerem os seus direitos humanos. Nunca deveriam ter sido detidos”, defende o mesmo responsável.

No sul de Angola, dezenas de milhares de criadores de gado foram expulsos das suas terras para darem lugar a explorações comerciais de gado, sendo expostos a um maior risco de fome, à medida que a seca toma conta dessa região. Estas questões de direitos humanos e a sua melhoria devem estar no topo da agenda da chanceler Merkel e do presidente João Lourenço, quando se reunirem em Luanda”, conclui Deprose Muchena.

“Estas questões de direitos humanos e a sua melhoria devem estar no topo da agenda da chanceler Merkel e do presidente João Lourenço, quando se reunirem em Luanda”

Deprose Muchena, diretor regional para a África Oriental e Austral da Amnistia Internacional

A visita a Angola de Angela Merkel prevê um encontro com o presidente angolano, João Lourenço, para aprofundar as relações bilaterais entre os dois países. Ambos vão presidir à abertura do Fórum Económico Alemanha-Angola.

Artigos Relacionados