Porto: Fotografia e ativismo na exposição "Tell the world about us" - Amnistia Internacional Portugal

11 Julho 2019

A liberdade perdida, a luta pela dignidade e a defesa dos direitos humanos são o mote da colaboração entre a Amnistia Internacional Portugal e o Centro Português de Fotografia, que inaugura a exposição Tell the world about us, este sábado, às 15h30, no Porto. A mostra, assinada pelo fotógrafo norueguês Rune Eraker, propõe uma reflexão sobre o mundo em que vivemos, onde ainda há prisioneiros esquecidos em condições precárias, ativistas votados à reclusão ou minorias perseguidas.

“A força das fotografias exigirá um tempo de reflexão perante a realidade e, em consequência disso, um tempo de ação para que se faça a diferença. Junte-se a nós neste trabalho”

Pedro A. Neto, diretor executivo da Amnistia Internacional Portugal

Tudo começou em 2001, enquanto durava a guerra civil na Colômbia. Rune Eraker obteve autorização para visitar uma prisão na capital, Bogotá, para documentar como se encontravam detidos os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e dos prisioneiros políticos. Quando um guarda voltou as costas por um momento, o fotógrafo captou um homem em regime de isolamento. Através das grades, esse prisioneiro atirou-lhe uma nota em que se lia “fala de nós ao mundo”.

“Uma imagem até pode valer mais do que mil palavras, mas devemos ir sempre além através da ação. É por isso que a Amnistia Internacional Portugal convida todas as pessoas a visitar o Centro Português de Fotografia e a viajar à boleia de Rune Eraker pelo mundo dos mais esquecido. Pedimos que unam os seus esforços ao nosso trabalho de ativismo e advocacia através de um conjunto de apelos que estamos a organizar em defesa dos direitos humanos. A força das fotografias exigirá um tempo de reflexão perante a realidade e, em consequência disso, um tempo de ação para que se faça a diferença. Junte-se a nós neste trabalho”, afirma o diretor executivo da Amnistia Internacional Portugal, Pedro A. Neto, que vai marcar presença na inauguração.

Durante a exposição, que se estende até 6 de outubro, vai ser possível subscrever uma petição dirigida às autoridades portuguesas para que reconheçam, publicamente, o papel fundamental que os defensores de direitos humanos têm na construção de uma sociedade mais justa, numa altura em que o medo, a divisão e a demonização ganham terreno.

“Através desta colaboração com o Centro Português de Fotografia, aliamos a arte às causas e a sensibilidade da lente de Rune Eraker à ação da Amnistia Internacional”

Pedro A. Neto, diretor executivo da Amnistia Internacional Portugal

Além disso, é feito um alerta para a situação de um grupo de ambientalistas torturados e em risco de execução no Irão, a perseguição das “Mães de sábado” da Turquia, que estão impedidas de fazer vigílias pacíficas para protestar contra os desaparecimentos forçados dos seus familiares nas décadas de 1980 e 1990, e o risco de desalojamento de 2000 pessoas da comunidade Deep Sea no Quénia devido à construção de uma estrada, cofinanciada pela União Europeia.

“Através desta colaboração com o Centro Português de Fotografia, aliamos a arte às causas e a sensibilidade da lente de Rune Eraker à ação da Amnistia Internacional. Mas não ficamos por aqui. Queremos unir os esforços de todas as pessoas com boa vontade e empenho, pela defesa dos direitos humanos, em todo o mundo. Mais do que nunca, devemos dizer ‘sim’ a esta missão e a estarmos na linha da frente, mesmo se muitos dos nossos líderes afirmem o contrário e promovam mais muros do que pontes, mais ódio do que amor, mais medo do que esperança”, nota Pedro A. Neto.

 

Tell the world about us

Centro Português de Fotografia (Porto)

De 13 de julho a 6 de outubro de 2019

Segunda a sexta-feira: 10h-18h

Sábados, domingos e feriados: 15h-19h

Entrada livre

Artigos Relacionados