4 March 2022

A Amnistia Internacional – Portugal realizou esta segunda-feira, 28 de fevereiro, várias vigílias pelos direitos humanos na Ucrânia, que tiveram lugar em oito cidades do país: Chaves, Viana do Castelo, Paços de Ferreira, Viseu, Coimbra, Lisboa, Estremoz e Ponta Delgada. Por todo o país, foram milhares as pessoas que se uniram para pedir o respeito pelos direitos humanos na Ucrânia. Só em Lisboa, o evento reuniu várias centenas de pessoas.

As várias vigílias apelaram à paz, à necessidade de salvaguardar os direitos humanos na Ucrânia e de fazer cumprir o Direito Internacional Humanitário, priorizando a segurança e vidas civis.

“A invasão da Rússia à Ucrânia tem sido pautada por ataques indiscriminados a áreas civis e ataques a infraestruturas protegidas, como hospitais, o que pode constituir-se como um crime de guerra, colocando a vida de milhares de civis em risco. É urgente o respeito pelas vidas e direitos humanos, para que a invasão não custe a vida de mais pessoas inocentes. Por todo o país, mostraremos que estamos atentos, que seguimos juntos pela paz e comprometidos na proteção dos direitos humanos”, referiu Pedro A. Neto, diretor executivo da Amnistia Internacional – Portugal.

“É urgente o respeito pelas vidas e direitos humanos, para que a invasão não custe a vida de mais pessoas inocentes”

Pedro A. Neto

De norte a sul de Portugal, as vigílias foram momentos de discursos apreensivos e encorajadores, onde se escutaram as vozes daqueles que permanecem solidários, dos que não esquecem quem continua em risco na Ucrânia e dos que não desistem da paz. Dos mais novos aos mais velhos, dos portugueses aos ucranianos, houve espaço para a partilha de muitos testemunhos. Em Lisboa, mas também em S. Miguel e Viseu, o hino ucraniano fez-se ouvir, rodeado da luz das velas e de mensagens de solidariedade que todos foram convidados a trazer ou a escrever no local.

“Por todo o país, mostraremos que estamos atentos, que seguimos juntos pela paz e comprometidos na proteção dos direitos humanos”

Pedro A. Neto

Numa altura onde o diálogo, a paz, a compreensão e o respeito pelos direitos humanos são mais necessários do que nunca, a Amnistia Internacional – Portugal procurou criar um espaço de solidariedade, que mostrasse o apoio e a união a todos os civis que permanecem na Ucrânia.

 

Vigília de Lisboa: Centenas de pessoas juntaram-se no apelo à paz na Ucrânia

 

Mensagens e cartazes feitos pelos participantes

 

Mensagens e cartazes da Amnistia Internacional – Portugal, disponíveis para quem quisesse utilizar

 

A Amnistia Internacional – Portugal disponibilizou velas, para que todos e todas pudessem iluminar a vigília

 

Vigília de Lisboa: A Amnistia Internacional – Portugal convidou todos e todas a partilhar os seus pensamentos, testemunhos e mensagens de paz

 

Vigília de Lisboa: Cidadã ucraniana discursa e canta o hino nacional da Ucrânia

 

Vigília de Lisboa: Participante canta “Holy War” de Alicia Keys

 

Dos mais novos aos mais velhos, todos foram convidados a participar e deixar a sua mensagem de solidariedade e paz
Agir Agora

Pelo fim da agressão e pela proteção de civis na Ucrânia

Pelo fim da agressão e pela proteção de civis na Ucrânia

Juntos, vamos unir-nos para ajudar a proteger as pessoas na Ucrânia.

51834 PESSOAS JÁ AGIRAM
Assinar Petição

Artigos Relacionados