Todos os anos, durante o último trimestre, a Maratona de Cartas consegue fazer com que mais de três milhões de pessoas em todo o mundo assinem para apelar ao fim das violações de direitos humanos através do envio de cartas. Sendo o maior evento de ativismo da Amnistia Internacional, a Maratona de 2016 não foi diferente e graças a si conseguimos enviar 265 665 assinaturas de Portugal, um novo recorde nacional!

Todas estas assinaturas foram enviadas em conjunto com mais de 4 milhões de apelos, oriundos de diversos países.

 

Defender os direitos humanos é hoje um ato de coragem, não deixe que se extinga.


As nossas assinaturas têm mais poder do que imaginamos.

#MaratonaDeCartas #EuAssino

 

 

Quero participar

Para participar na Maratona de Cartas basta indicar o seu interesse em fazê-lo preenchendo o formulário para o efeito, onde deverá indicar o seu nome, contacto(s) e morada completa.

Após o início da Maratona, a Amnistia Internacional compromete-se a enviar todos os materiais para a sua divulgação e desenvolvimento a todos/as os/as interessados/as. A Maratona de Cartas pode ser realizada em qualquer local, e a sua participação não implica quaisquer custos.

Casos em foco em 2017

Clovis Razafimalala – Defensor de Direitos Humanos (DDH)


 

Defensor da floresta tropical de Madagáscar

Ler Mais

Clovis Razafimalala faz tudo o que está ao seu alcance para proteger a ameaçada floresta tropical de Madagáscar. As suas árvores de pau-rosa são valiosos recursos que se encontram ameaçados por uma corrupta rede de traficantes empenhada em vendê-los, uma prática que se tornou num verdadeiro comércio ilegal multimilionário. A coragem de Clovis em salvar esta rara árvore cor de rubi trouxe-lhe muita atenção indesejada, já que os traficantes o consideram um alvo, e o governo opta por ignorar a situação. Clovis encontra-se atualmente a cumprir pena suspensa em liberdade, após uma condenação com base em acusações falsas.